1.16.2007

Um acontecimento que não queria perder, o meu avô e o o que ele nos deu



5 comments:

O Meu Outro Eu Está a Dançar said...

olá manel! não consigo abrir a segunda imagem para ver melhor... onde é? ...já foi?

zamotanaiv said...

Que pena não poder ir...

zeduviana said...

Já agora contribuo com o meu testemunho dessa tarde extraordinaria.O meu avô, com o seu grande coração, foi o único que se emocionou com a cerimónia que quase ficou dominada por discursos politizados de ministros e directores-gerais. Emocionou-se a contar algumas histórias da sua vida profissional de uma forma muito pessoal e mais tarde disse-me com um sorriso que era um chorão. Nada que qualquer Viana n tenha tido vontade de fazer ali naquela sala. Dos projectos expostos, a meu ver, destacam-se aqueles mais contemporâneos ou originais como a transformação de uma carrinha FIAT em atelier de arquitectura ou a roulote ampliavel. Todas as outras obras de grande influência modernista não ficam atrás na qualidade e beleza. este testemunho não é parcial =) Ah! e os desenhos... deliciosos. não só os do meu avô. Mas eu só tive olhos pra ele

leugimanaiv said...

Como Viana tenho de dizer que ainda bem que não soltámos nenhuma lagrimita, porque seria um dilúvio.
É engraçado porque a todos nós o avô tem marcado profundamente e naquele dia e naquela hora todas as homenagens eram poucas para a dimensão do homem, do arquitecto, do pai, do avô, do bisavô.
Sabes Manel, acho que estivemos lá todos. Senti-te lá, a ti, ao Tomás ao Vasco, a todos os que temos tido este enorme previlégio. E a avó?!..estava linda e forte como sempre.

Manel said...

Ao Edi respondi com um email...
À Pilar dei-lhe a informação para ela ir com a Leonor se desse (no blog dela). Ao Tomás não disse nada porque só posso sentir o mesmo.
MAs aquilo que deixaste aqui foi bonito Miguel. Consigo imaginar a avó, o avô, as emoções e tudo o que pensaram naqueles momentos. Muito bom. Sinto que está a chegar a minha altura de retribuir um bocadinho.